terça-feira, 16 de abril de 2013

Realidade

Presente verdade, Passada realidade. Nunca o é, constante exata, Constata o espelho, já foi. Adaptam-se costumes, mudam-se hábitos. metamorfose estrume, provérbios ditos. Alteras o vislumbre conforme agrado, Alteras imagem conforme a tua volta agregado, Alteras posse conforme presente Alteras afazeres conforme a falácia que és crente. fazem-se paralelos os planos, semelhantes palavras, simbiose de paralelos estranhos, tão intrinsecamente tocados. Pois tudo o que foi já não o é, e o que é nunca mais será, a evolução do ser (e da eterna busca de prazer), para um perfeccionista espelho meu, peso, no melhor que o teu. E da brisa vem o tornado, emaranhado, congestionando a saida, do que é ser miragem em espelho de água. Ténue... calmo.. escuro.

segunda-feira, 12 de março de 2012

Ola essência

16/12/2011
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
23/02/12
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
27/02/2012

.... Ser depois não é copiar..não é só porque fica bem... é porque mereces
...e sim
..estou a pensar em ti

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Memória Interesseira

Tenho uma memória interesseira
Só se lembra do que bem lhe faz
Para mim coisas boas,
para outros somente más.

Tenho uma memória interesseira
reprime o trabalho
cinge-se á preguiça
Foge do complicado
finge-se justiça

Tenho uma memória interesseira,
rebola colina abaixo
colhendo mel
repugnando fel

tenho uma memória interesseira
desliza por vales de caruma
atira ovos á janela
de quem usa cinto sem fivela.

Tenho uma memória interessante,
Colhe frutos e furacões,
jamais algum lhe tocou,
Tenho uma força incessante
este meu egoista trovante

Balança de signo

já não sou virgem

já morri,
já vivi,
já Sofri,
já sorri.

já não sou virgem
Já tropecei e levantei...
já corri,
já saltei,
já pisei lama,
já me afundei.

já não sou virgem
Já sei quanto dói,
já sei o quanto não dói,
já sei quando desligar,
já sei quando devo ligar.

já não sou virgem
Já sei ser confuso,
já sei esconder-me do real,
já tenho o meu mundo,
Já sei o quão próprio é meu matagal.

já não sou virgem
Já sei ser parvo,
já sei ser egoísta,
já sei ser cabrão,
já sei ser Poli...teista

já não sou virgem
Já sei quando me quebrar,
já sei quando me calar,
já sei quando me atirar,
já sei quando abraçar.

Sou balança....
Não sei quando já não sei o que saber...
quando me apanham,
quando me acalentam,
quando me estranham,
quando me abraçam.

Sou... o que sou?
Já não me sabia perder,
e por ti... perdi-me

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Conciso

Lanço dado sem vista ressaltar resultado,
salto avião sem para quedas armado.... sorrio

LOUCO!
Loucamente grito á audácia que em espelho me espelha...escondida...
Certeza sofrida, a dor recordada, o prazer retomado, a saída esquecida... perdida

Do incerto, da dúvida.....

Um toque agridoce... uma frangância querida... Natural...simples

Quando o saber sabe certo o colher sabor sensação... da essencia
Um semelhante estranho sentir.... terno quente calor... não se explica... não se quer exprimir

Um bater forte, Bate sentir, Bate fundo...sorrir a cair...

ARRISCA!

Jogando Todo, arriscar tão consciente... assusta...

Mas..... (Não há mas!)....mas... Nada, nada custa..

LOUCO!
Seria não saltar...
Louco seria!
Desejar não abraçar...

Sorrir sozinho sabe quase perfeito... amargo
Sorrir por alguem sabe cá dentro... no peito... doce

Hoje possuo essencia, hoje aqueço, hoje... pertenço!
Amanhã inexistente quando no agora sou rei!
Reino meu, reino teu...

Ateu de nascimento,
Fé do caminhar,
gelo da experiência,
Asteróide (num ápice, num mmento!)

Cometa da vontade, real, da verdade!
da ilusão, do alto preço,
Já mudei morada,
Já faço, crio, aconteço!

Estranha é vontade de não interessando porquê,
Lançar dados e saber resposta previa ser par...
Um...

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Cansaço

"O que há em mim é sobretudo cansaço -
Não disto nem daquilo,
Nem sequer de tudo ou de nada:
Cansaço assim mesmo, ele mesmo,
Cansaço.

A subtileza das sensações inúteis,
As paixões violentas por coisa nenhuma,
Os amores intensos por o suposto em alguém,
Essas coisas todas -
Essas e o que falta nelas eternamente-;
Tudo isso faz um cansaço,
Este cansaço,
Cansaço.

Há sem dúvida quem ame o infinito;
Há sem dúvida quem deseje o impossivel,
Há sem dúvida quem não queira nada -
Três tipos de idealistas, e eu nenhum deles:
Porque eu amo infinitamente o finito,
Porque eu desejo impossivelmente o impossivel,
Porque quero tudo, ou um pouco mais, se puder ser,
Ou até se não poder ser...

E o resultado?
Para eles a vida vivida ou sonhada,
Para eles o sonho sonhado ou vivido,
Para eles a média entre tudo e o nada, isto é, isto...
Para mim só um grande, um profundo,
E, ah! com que felicidade infecundo, cansaço,
Um supremissimo cansaço,
Issimo, issimo, issimo,
Cansaço..."

quarta-feira, 11 de maio de 2011

Bizarra Melodia

Navegando no Crepusculo dourado,
vislumbro folha pairando, tombando!

Orvalho que escorre,
desperta apolo, seca, morre!

Ramos de inverno, Folhagem de primavera,
mante-se instinto, se protege a fera.

Um cantar estranho, semelhante sinfonia...
Abre-se pano, Cena 4, parte "gostaria"...
Máscara a postos, cinzento cor de "bom dia"...
Entra agora... Entra agora...
Minha Bizarra Melodia!

Palavras...

Andavam de mão dadas
Eram declamadas
Eram afectuosas
Eram... carinhosas.

Palavras bondosas
Eram formosas
Eram apaixonadas
Eram.... lentamente inaladas

Eram respeitadas
Eram devoradas
Eram consumidas
Eram... maltradadas

Eram ar...
.....eram calor...
.........Palavras...

Par de mãos abandonadas
Foram cuspidas
Foram torcidas
Foram... Destorcidas!

Foram-se com a paixão
Foram-se com o calor
Foram-se com a cor
Foram-se... rapidamente... demasiado rápido...

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Telescópio

bifurca-se coraçao e mente
ao sentimento pendente, resiliente... resplandecente
sou outrora nova urtiga, querendo despurga-la de vida
querendo abraça-la dentro de mim, querida...

torno-me lua, mirando de alto,
torno-me campo aberto, da devastação, areal..

voando para onde o tornado me deixar... tornando-me noite...

Observo a luz ao distante,
uma estrela que passou,
um cometa que faiscou...

brilho fusco... ofuscado
brilho turvo... queimado
brilho... cansado...
já tudo brilhou...

quinta-feira, 28 de abril de 2011

A esperança passou por aqui

Vai! Vai contar
que um dia a esperança passou por aqui.
Resistindo ao tempo,
resistindo à frustração dos anos passados,
vai para que também tu
não resultes aprisionado
por esta cadeia de fogos fátuos
que anunciam libertadores
que nos deixam cada dia mais prisioneiros
dos seus pequenos interesses,
e das ambições das suas cortes de amigos.
Vai. Foge desta terra de renegados
para que um dia também nós
possamos acordar e gritar liberdade!

(...)

When people discover a fragment of their soul in another, they discover love..."

domingo, 24 de abril de 2011

A traição das sinapses

Trai-me a propria memoria.
Egoista e fingida apenas regista o que lhe é querida.

Não Interessa, já não existe!
Há pressa?! Evaporou!

Trama previamente seu rei mas eu nunca a calei!
Fecha-me a porta a lembraças que nem riscar mencionei!

Sou esquecido? Não!

Já o Soube... Notas raptadas... já as toquei...

Rais e coriscos,
limpas rabiscos envoltos em picos do esquecimento...
Letras do momento devoras vorazmente o frio...Em penumbra... o alento!

E agora qur faço senão amar tais partidas ao inicio perdidas?
Ironia... que mania!

E questiono, qeustiono tão pura filosofia...

Só(mente)

Sorriu..
Perante desafios impossiveis,
Demandas crediveis,
Fantasticos indomaveis...

Atiças o animal zombie que jaz em mim...
Minha Epopeia de cetim...
Entrelaço cordeis,
amargos como lima,
Quente como poente.

Somente Tu, Somente Nós.

Artérias atas,
veias de pulsar se quebram em madeixas utópicas.

Sentido(me) apurado,
escalo Evareste em que te trasnformas-te.
Persigo a Foz.

Somente Tu, Somente Nós.

Sou alado,
Sou a Mão,
Eterno apaixonado
Doente de coração.

E sorriu, quase sem voz...

Somente Tu, Somente Nós.

Creio no infinito,
Quebro Basalto,
Quebro granito!
Despertando com tua ausência em sobressalto!

Aconchego-te em meu abraço de Albatroz.
Somente Tu, Somente Nós.

Somente a Ti, Somente para Ti.